post

FAPAS e ZERO analisam a primeira Lista Vermelha de Habitats da Europa

A Comissão Europeia publicou recentemente a primeira Lista Vermelha de Habitats, onde consta o estatuto de todos os habitats naturais e seminaturais terrestres, água doce e habitats marinhos, numa abordagem que vai para além dos habitats que estão legalmente protegidos pela Diretiva Habitats.

Esta lista inédita fornece uma visão geral do risco de degradação irreversível dos 490 habitats marinhos, terrestres e de águas doce na União Europeia, Islândia, a Suíça, e a Noruega (designação UE28+), que foram avaliados.

Na parte terrestre – 233 habitats terrestres identificados para a UE28 – 37% encontram-se ameaçados, sendo que entre os mais ameaçados estão as turfeiras, os prados e pastagens, os habitats de água doce e os habitats costeiros.

No que respeita aos habitats marinhos, 19% estão ameaçados, sendo que a área do Mediterrâneo é o que está mais ameaçada (32% dos 47 habitats), seguida da área Nordeste do Atlântico (23% dos 86 habitats), da área do Mar Negro (13% dos 63 habitats) e a área do mar Báltico (8% dos 61 habitats).

E em Portugal, como estamos?

A ZERO e o FAPAS analisaram os dados referentes a Portugal2), tendo por base a informação que consta nas fichas individuais dos habitats terrestres(3), de água doce e dos habitats marinhos(3), tendo chegado às seguintes conclusões:

  • Cerca de 37% dos 118 habitats terrestres identificados para Portugal, presentes na região continental e/ou regiões autónomas dos Açores e Madeira, encontram-se classificados na Lista Vermelha como ameaçados (categorias Vulnerável, Em perigo ou Criticamente em Perigo), sendo que os habitats nas tipologias “Turfeiras” (80% ameaçados), “Água doce” (42,9% ameaçados), “Prados e pastagens” (50% ameaçados) e “Costeiros” (33% ameaçados), são aqueles sobre os quais impendem mais riscos. É de referir que perto de metade dos habitats terrestres situados em território nacional sofreu uma regressão em termos de área de distribuição, e em mais de 80% dos casos a qualidade do habitat decresceu ou não existe informação disponível.
  • 23% dos 93 habitats identificados para as áreas marinhas Costa Ibérica e Macaronésia estão ameaçados, sendo as áreas estuarinas, as áreas costeiras pouco profundas e outras cujos substratos rochosos ficam a descoberto durante a maré baixa como aquelas que suscitam maior preocupação em termos de conservação.

Ficam à vista duas constatações na publicação desta Lista Vermelha:

  • não existe informação sobre mais de 30% dos habitats presentes em território nacional, uma situação que deve continuar a preocupar os decisores públicos, pois sem sabermos onde estão e sem conhecermos o estado de conservação dos valores naturais não é possível definir as prioridades de conservação e alocar os investimentos com critério, face à escassez crónica de recursos financeiros disponíveis para a conservação da natureza.
  • Embora os impactes que pairam sobre os diferentes habitats terrestres e de água doce variem consoante o tipo de habitat, a agricultura intensiva e extensiva, a urbanização e infraestruturas de transporte, as alterações nos sistemas naturais (e.g. na hidrologia), as alterações climáticas e a silvicultura, estão entre as principais ameaças susceptíveis de causarem a degradação ou regressão dos habitats. Nas áreas costeiras marinhas, a poluição (eutrofização), utilização desadequada dos recursos biológicos (pescas e aquacultura), modificações nos sistemas naturais e alterações climáticas, são as ameaças que podem afectar negativamente os habitats.

Conclusões:

  • Face a este enorme vazio de conhecimento, o diagnóstico real pode ser muito mais grave do que aparenta, subindo o já negro panorama de termos cerca de 31% dos habitats classificados na Lista Vermelha como ameaçados!
  • Exige-se aos organismos responsáveis que procedam em conformidade para colmatar os problemas diagnosticados.

Notas:

(1) trabalho elaborado por Alterra, IUCN plus naturebureau, Sue Gubbay e John Rodwell

(2) informação recolhida em http://forum.eionet.europa.eu/european-red-list-habitats/library/index_html

(3) habitats agrupados nas tipologias “Costeiros”, Água doce”, “Turfeiras”, “Prados e Pastagens”, “Charnecas e matos”, “Florestas” e “Vegetação esparsa”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *