post

Cerimónia de lançamento com presença de Ministro do Ambiente, Presidente da Câmara Municipal do Porto e Reitor da Universidade do Porto

No próximo dia 15 de Julho (sexta-feira), pelas 18h, na Sala D. Maria, no edifício da Câmara Municipal do Porto, irá ser assinado o protocolo de constituição da comissão instaladora da Casa Comum da Humanidade. Nessa cerimónia a apresentação da iniciativa estará a cargo do Dr. Paulo Magalhaes, da Associação ZERO e mentor do projeto. Os primeiros signatários deste protocolo serão o Ministro do Ambiente, Engº. João Pedro Matos Fernandes, o Presidente da Câmara Municipal do Porto, Dr. Rui Moreira, o Reitor da Universidade do Porto, Prof. Doutor Sebastião Feyo, e o Prof. Doutor Francisco Ferreira, Presidente da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

Com a assinatura deste protocolo fica assegurado que a sede da Casa Comum da Humanidade (CCH), projeto que está ainda na fase de instalação e que congrega vários parceiros internacionais e ambição global, ficará localizada no Porto. Cientistas de todo o mundo, ligados às diversas ciências, nomeadamente às Ciências da Terra e ao Direito, pensadores e outros investigadores encontrarão, a partir de agora, na sede desta organização, um local de referência e reflexão sobre a procura de modelos de organização e uso do Sistema Terrestre. A título de exemplo, a comissão científica da CCH será presidida por Will Steffen, da Universidade de Canberra (Austrália) e do Stockholm Resilience Center (Suécia), cientista de unânime reconhecimento na área das Ciências da Terra. Uma clara afirmação de que Portugal estará na vanguarda da discussão do futuro.

No seguimento desta iniciativa fundadora, irá ser lançado em Paris, no próximo mês de Outubro, na sede da Agência Espacial Europeia, instituição que tem dado um grande apoio à criação desta organização, o livro SOS-Treaty – The Safe Operating Treaty, com a chancela da reputada Cambridge Scholars Publishers, em que se apresenta uma proposta interdisciplinar que pode conduzir a uma gestão equitativa do uso espaço de segurança do Planeta Terra.

A médio prazo, a Casa Comum da Humanidade em parceria com os atuais e futuros parceiros nacionais e internacionais, irá apresentar junto da Unesco, uma candidatura ao reconhecimento do estado favorável do Sistema Terrestre junto da UNESCO. Esta iniciativa pioneira, pretende que, pela primeira vez, o Sistema Terrestre seja reconhecido como bem jurídico global, um bem que existe dentro e fora de todas as soberanias, a única herança global da humanidade.

Este projeto conta com o envolvimento de um corpo de investigadores e parceiros internacionais, para além do Ministério do Ambiente e da Câmara Municipal do Porto. Numa fase posterior espera-se alargar esta coligação a outras instituições, empresas e cidadãos, no sentido de formar a mais ampla base de apoio da candidatura.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *