post

22 / Fevereiro, 12h, Câmara Municipal de Loulé

Conferência de imprensa junta autarcas e movimentos da sociedade civil

O Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, tomou a 8 de Janeiro, a decisão de estender por mais um ano os direitos de prospecção de petróleo nas concessões “Lavagante”, “Santola” e “Gamba”, no Oceano Atlântico, a cerca de 40 quilómetros a oeste de Aljezur, estando anunciada pelo consórcio ENI/GALP a possibilidade de efetuar o furo de prospecção em Maio de 2018.

Os autarcas do Algarve e também de alguns Municípios do Alentejo, diversas associações empresariais, em conjunto com dirigentes de associações e movimentos da sociedade civil que sempre se manifestaram contra a prospecção de petróleo em Portugal, como a PALP – Plataforma Algarve Livre de Petróleo, Almargem, Climáximo, The Climate Reality Project em Portugal, ZERO, Futuro Limpo, Baixo Guadiana Renovável, Tavira em Transição, Preservar Aljezur, MALP – Movimento Algarve Livre de Petróleo, ASMAA, Associação A ROCHA, Quercus Algarve, entre outros, vão participar numa reunião na Câmara Municipal de Loulé esta 5ª feira, pela 11h:00, dia 22 de Fevereiro, seguida de conferência de imprensa a ter lugar às 12h (meio-dia), para apresentar todos os argumentos que justificam a não autorização de actividades de prospecção de petróleo em frente a Aljezur.

Um comentário sobre “Contra a pesquisa de petróleo ao largo de Aljezur

  1. Manifesto de novo a minha opinião:
    Porquê esta campanha contra a propeção , feita com equipamentos seguros e fiáveis quando comparada com as dezenas (se não centenas) de petroleiros que diariamente sulcam a nossa costa por vezes em condições precárias de conservação e de navegação?
    Quantas notícias de acidentes com petroleiros e quantas notícias de acidente em plataformas de propeção?

Comments are closed.