post

Projeto Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses.

A sessão de apresentação teve lugar no Laboratório da Paisagem, hoje, quinta-feira, 15 de março. A iniciativa surge no âmbito do projeto Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses coordenado pela Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

Este projeto resulta de uma colaboração entre Zero a Global Footprint Network e a Unidade de Investigação GOVCOPP da Universidade de Aveiro, que conta igualmente com a colaboração de investigadores da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e da Faculdade de Direito da Universidade do Porto – pretende potenciar o desempenho nacional no contexto das cidades para desafio global, e alargar os possíveis campos de aplicação desta ferramenta de avaliação e monitorização de sustentabilidade mundialmente reconhecida. Para serem resilientes e bem-sucedidos, os municípios precisam de encontrar formas de atuar e de proporcionar uma vida próspera aos seus cidadãos, dentro dos limites do planeta, e para isso é necessário informação quantificada capaz de influenciar as tomadas de decisões.

Em 2013, a pegada ecológica média de um residente em Guimarães era de 3,76 hectares globais (gha) per capita, isto é, em média cada residente de Guimarães precisou, em 2013, de 3,76 gha de área bioprodutiva para suportar o seu estilo de vida. Esta procura é 3% mais baixa do que a média de um cidadão português (com uma pegada ecológica média de 3,87 gha per capita), mas 2,5 vezes maior do que a média da biocapacidade de Portugal (aproximadamente 1,52 gha). A estes níveis de consumo, seriam necessários 2,2 Planetas Terra para suportar esta pegada, se toda a população mundial tivesse em média o mesmo valor desta Pegada.

Na sessão que decorreu hoje em Guimarães, além da apresentação da Pegada Ecológica do município, por Sara Moreno Pires, da Universidade de Aveiro, a sessão incluiu uma apresentação da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável, por Paulo Magalhães, coordenador do Projeto Pegadas Municípios Portugueses, a apresentação pela Global Footprint Network, por Laetitia Mailhes, e a comunicação ”Guimarães Mais Verde”, por Isabel Loureiro, Coordenadora Executiva da Candidatura a Capital Verde Europeia 2020. Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, encerrou a sessão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *