post

ZERO congratula-se com escolha dos consumidores portugueses e quer mais incentivos aos automóveis elétricos

A Agência Europeia do Ambiente (AEA) divulgou hoje um conjunto de dados (http://www.eea.europa.eu/highlights/fuel-efficiency-improvements-of-new) que mostram o regresso de Portugal ao primeiro lugar da Europa no que respeita à eficiência dos automóveis novos, de acordo com as vendas em 2016, seguido da Holanda, Dinamarca e Suécia. As emissões médias de dióxido de carbono, um importante indicador de eficiência e de impacte dos veículos no que respeita à mitigação das alterações climáticas, passaram em Portugal, passaram de 105,7 g/km para 104,7 g/km (uma melhoria de cerca de 1%), permitindo ao nosso país ultrapassar a Holanda que em 2016 sofreu um considerável retrocesso nas emissões médias da sua nova frota automóvel.

Considerando que o transporte rodoviário em Portugal é um dos principais sectores responsáveis pela emissão de gases com efeito de estufa (cerca de 23%), a ZERO, membro da Federação Europeia de Transportes e Ambiente, considera que esta é um boa novidade que tem de ser conjugada com medidas de promoção do transporte público e de penalização do transporte individual e de maior utilização de modos suaves como a bicicleta e uma maior motivação para andar a pé nos centros urbanos.

A ZERO considera que o bom posicionamento de Portugal é consequência da compra no nosso país de automóveis mais pequenos e assim também menos pesados cujo valor de compra se adequa mais aos salários no nosso país, mas também pelo peso significativo da componente ambiental no Imposto Sobre Veículos.

Carros estão mais pesados, menores vendas de veículos a gasóleo, há um recuo nos híbridos elétricos e plug-in e mais vendas de veículos elétricos

A massa de um veículo é um fator chave que afeta as emissões, pois os veículos pesados tendem a emitir mais CO2/km. Em comparação com 2015, a massa média de veículos novos vendidos em 2016 na UE aumentou ligeiramente para atingir 1 388 kg.

Pelo segundo ano consecutivo, as vendas de veículos a gasóleo diminuiu e em 2016 caiu abaixo de 50% das novas vendas, o que do ponto de vista da poluição do ar são para a ZERO boas notícias, mesmo continuando a ser os automóveis que recebem mais preferência dos compradores.

As vendas de veículos elétricos apenas alimentados a bateria continuam a aumentar mas a uma taxa significativamente mais lenta do que nos anos anteriores (um aumento de 13%). Já no que respeita às vendas de veículos híbridos elétricos e plug-in houve um recuo de 1,2% para 1,1% do total das vendas, em grande parte devido ao recuo nos incentivos a este tipo de automóveis.

Progresso europeu menor em 2016

De acordo com os dados provisórios publicados, a eficiência energética dos veículos novos vendidos na União Europeia (UE) continuou a melhorar no ano passado, mas a um ritmo mais lento. De facto, a redução de 1,4 gramas de dióxido de carbono (CO2) por quilómetro (km) em relação a 2015 constitui a menor melhoria anual registada na última década.

As emissões médias de CO2 de um carro novo vendido em 2016 foram 118,1 g CO2/km. Isto representa uma diminuição de 1,4 g CO2 / km (1,2%), em comparação com o ano anterior, de acordo com dados provisórios. Esta redução é a menor melhoria anual registada desde 2006 para os veículos novos vendidos na UE.

A ZERO considera que são necessárias melhorias anuais significativas na eficiência dos veículos em cada um dos próximos cinco anos, a fim de atingir a o objetivo europeu de 95 g de CO2/km até 2021 e que o progresso tem assim de ser mais acentuado.

Mais veículos elétricos em Portugal

Em 2016, de acordo com dados da ACAP analisados pela ZERO, verificou-se um aumento de 17,2% nas vendas dos veículos elétricos e praticamente uma duplicação dos veículos plug-in.

No que respeita aos automóveis elétricos ligeiros de passageiros, em 2016 foram vendidos 716 veículos, representando apenas 0,4% do total de 207 mil. Já este ano, considerando os meses de janeiro e fevereiro, houve um aumento de 179%, passando-se de 74 para 207 veículos, pelo que a meta de mil veículos apoiados pelo Fundo Ambiental para 2017 deverá, na opinião da ZERO, ser aumentado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *