post

5 de junho, Dia Mundial do Ambiente – Portugal a caminho da neutralidade carbónica em 2050 – ZERO quer caminho específico para as regiões autónomas

Em outubro do ano passado arrancaram os trabalhos que apresentarão o caminho que Portugal deverá traçar para atingir a neutralidade carbónica em 2050, isto é, assegurando que o total de emissões de gases com efeito de estufa é igual à capacidade de sequestro, nomeadamente de dióxido de carbono por parte das florestas. Se este caminho é um enorme desafio para Portugal Continental, maior ainda será para as regiões autónomas, em particular para a Madeira, local que a ZERO escolheu este ano para se associar a um conjunto de iniciativas de comemoração do Dia Mundial do Ambiente, 5 de junho.

Efetivamente, apesar da ilha de Porto Santo ter objetivos ambiciosos no quadro do projeto “Porto Santo Sustentável” em que se pretende vir a atingir 100% de energia elétrica proveniente de fontes renováveis, assegurando também uma forte componente de gestão inteligente de eletricidade com base na mobilidade elétrica, a ilha da Madeira e a região como um todo, precisam ainda de um longo caminho de transição que deve começar desde já. Atingir a neutralidade carbónica numa ilha como a Madeira, com uma fortíssima atividade turística e densidade populacional em cidades como o Funchal obrigará a um esforço suplementar de longo prazo de governo e autarquias. Em 2017, de acordo com a Eletricidade da Madeira, a região teve apenas 28,5% de energia elétrica fornecida a partir de fontes renováveis, com emissões específicas de dióxido de carbono muito significativas (461 g/kWh). Ao mesmo tempo, de acordo com o documento nacional de inventário de emissões mostra que o peso da floresta como sumidouro tem vindo a diminuir fruto de uma contínua urbanização e também da ocorrência de incêndios. O gás natural que tem vindo a ganhar peso na região autónoma, tem vantagens em relação à utilização de outros combustíveis fósseis mas deve ser visto apenas como uma fase de transição.

24 horas de atividades pelo clima

A 5 de junho, o Funchal terá um programa contínuo de atividades de comemoração do Dia Mundial do Ambiente no âmbito do chamado “Fórum de ALERTA GEO para as Alterações Climáticas” para chamar à atenção de todos os cidadãos para as alterações climáticas, com enfoque no papel do turismo, procurar soluções para uma sociedade mais sustentável.

Entre as 00 horas e as 24 horas de amanhã, dia 5 de junho, irá ser dinamizado um pograma completo organizado pela StartUp “ALERTA GEO” em parceria com a ZERO e outras entidades que terá lugar durante a madrugada, tarde e noite. Estas atividades, têm o apoio da Câmara Municipal do Funchal, da Universidade da Madeira, JM e 88.8jm, várias unidades hoteleiras, restaurantes e outras empresas regionais. Haverá também o grande empenhamento da Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco em diversas atividades previstas.

Na manhã do Dia Mundial do Ambiente, a Secretaria Regional de Ambiente e Recursos Naturais em parceria com a ZERO e o The Climate Project, organização internacional fundada por Al Gore, dinamizará do Auditório do Casino da Madeira a estreia na região do mais recente filme do ex-Vice-Presidente dos Estados Unidos “Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder”, com a participação de centenas de alunos do ensino secundário, sessão que será seguida de um debate.