post

Amanhã, dia 3 de julho, celebra-se o Dia Internacional Sem Sacos de Plástico – ZERO apresenta propostas para um uso mais sustentável dos sacos.

No dia seguinte à entrada em vigor da Diretiva Europeia sobre Plásticos de Uso Único, que prevê um conjunto de restrições à utilização de produtos descartáveis em plástico, celebra-se o dia Internacional sem Sacos de Plástico.

Neste dia a ZERO alerta para a necessidade de reduzir a utilização que fazemos dos sacos descartáveis, mas vai mais além, uma vez que defendemos que todos os sacos descartáveis (plástico fóssil, bioplásticos, papel, etc.) devem ser sujeitos a uma taxa, que poderá ser diferenciada consoante o impacte ambiental do material em que são feitos.

Se mantivermos o consumo do mesmo número de sacos descartáveis, os recursos terão que continuar a ser mobilizados e o impacto ambiental manter-se-á.

A redução do número de sacos usados, bem como a utilização de sacos reutilizáveis de longa duração, são as soluções que verdadeiramente podem contribuir para um consumo mais sustentável. Mudar apenas de material, mas manter a mesma lógica de usar e deitar fora é insuficiente para responder à situação de emergência ambiental em que nos encontramos.

As propostas da ZERO para promover um uso sustentável dos sacos

  1. Aplicação de uma taxa a todos os sacos descartáveis, independentemente do material em que são feitos (plástico fóssil, bioplásticos, papel, etc.), das características que referem ter (biodegradáveis, compostáveis, etc.) ou da sua espessura (sacos para acondicionamento de frutas, legumes, pão, para transporte de compras – em supermercados, mas também em qualquer outra loja – de vestuário, calçado, livros, equipamentos, medicamentos, etc). Esta taxa deve ir subindo gradualmente, podendo ser diferenciada consoante o impacte ambiental do material em que é feito, no sentido de desincentivar o uso de sacos descartáveis.
  2. Disponibilização de sacos reutilizáveis de longa duração com preços suficientemente dissuasores de uma utilização como descartável.
  3. Disponibilização de sacos com tara, ou seja, sacos que podem ser usados pelos clientes mediante o pagamento de uma tara, que será devolvida aquando da sua entrega na loja em boas condições e limpo, evitando, desta forma, a acumulação de sacos em casa e dando uma resposta às situações em que as pessoas não dispõem de um saco reutilizável no momento da compra.
  4. Total liberdade aos cidadãos para poderem levar os seus sacos para acondicionar os produtos que adquirem e para transportar para casa.