post

Adesão é formalizada amanhã, 25 de novembro, em Aveiro.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) vai aderir ao projeto da Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses e os seus 11 Municípios – Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ovar, Sever do Vouga e Vagos – vão estar na linha da frente das políticas de sustentabilidade ambiental. Em Outubro de 2019, o Município de Barcelos também já tinha aderido à iniciativa, incorporando um total de 18 municípios envolvidos no Projeto.

A cerimónia de assinatura do Protocolo de Adesão da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA e dos seus Municípios associados) ao projeto Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses, será firmado pelo Presidente da CIRA José Ribau Esteves e pelo Presidente da Associação Ambientalista ZERO, Francisco Ferreira, a ter lugar amanhã, segunda-feira, dia 25 de novembro, pelas 10.00 horas, na sede do Centro Municipal de Interpretação Ambiental de Aveiro (CMIA) e conta também com a participação do Pró-Reitor da Universidade de Aveiro Filipe Teles e de Técnicos gestores do projeto que farão a sua apresentação.

O projeto da Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses (https://www.pegadamunicipios.pt/), iniciado em 2018, resulta de uma parceria estratégica entre a ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável, a Global Footprint Network (GFN) e a Unidade de Investigação em Governança, Competitividade e Políticas Públicas (GOVCOPP) da Universidade de Aveiro. Com a adesão da CIRA e do Município de Barcelos, o projeto expande de seis para dezoito municípios. Os seis municípios pioneiros a integrar o projeto são: Almada, Bragança, Castelo Branco, Guimarães, Lagoa e Vila Nova de Gaia.

A adesão de novos municípios é um reflexo do trabalho desenvolvido desde 2018 com todos os parceiros do projeto, mas também do crescente interesse dos municípios pela sustentabilidade ambiental. O carácter inovador deste projeto para a administração pública local tem sido reconhecido e tem a ambição de poder chegar a todos os municípios portugueses.

A adesão de uma Comunidade Intermunicipal de Municípios é um marco de elevada importância pois os resultados permitirão obter uma visão mais integrada da região no que concerne aos recursos naturais que utiliza, através do cálculo da Pegada Ecológica, e dos recursos naturais que são gerados no seu território, através da biocapacidade. Esta iniciativa permitirá também perceber quais os setores de consumo das famílias residentes nestes municípios que mais contribuem para a Pegada Ecológica e, por outro lado, identificar as políticas locais e intermunicipais que consolidam a biocapacidade da região e o seu contributo para o país.

Até final de 2020, serão instaladas Calculadoras da Pegada Ecológica no website de cada uma das autarquias para possibilitar a cada residente o cálculo da sua Pegada Ecológica individual, com base num simples questionário acerca de hábitos quotidianos. A Calculadora disponibiliza um leque variado de resultados, como por exemplo o Dia da Sobrecarga da Terra pessoal, isto é, a data em que se esgotariam os recursos naturais disponíveis para um ano se toda população mundial tivesse o mesmo padrão de consumo do utilizador, ou o número de planetas Terra que seriam necessários para sustentar a população mundial com o mesmo padrão do utilizador. O objetivo final destas Calculadoras Municipais é alertar para o impacto que os hábitos de consumo têm e incentivar comportamentos que promovam a sua redução. Mais informações sobre o projeto podem ir sendo acompanhadas em https://www.pegadamunicipios.pt/.