Há pequenos gestos que cidadãos e empresas podem fazer para cuidar do planeta Terra. A plantação de árvores e arbustos autóctones é um desses gestos, simples mas decisivo, numa altura em que todos os esforços são importantes para mitigarmos e nos adaptarmos às alterações climáticas. Medidas que visem a preservação dos ecossistemas florestais são essenciais para que estes possam desempenhar o seu papel no sequestro do carbono, principalmente ao nível do solo, e na promoção dos serviços de ecossistema, nomeadamente na regulação dos ciclos da água e dos nutrientes, na preservação da biodiversidade e na redução da propagação de fogos.

Neste contexto, a ZERO criou o seu projeto florestal, o qual permite disponibilizar uma solução acessível a cidadãos e empresas para incrementar as áreas ocupadas por espécies autóctones em Portugal continental.

 O que garantimos?

– que as plantas autóctones utilizadas são de origem nacional, e preferencialmente resultantes de sementes e estacaria recolhidas nas proximidades das áreas a intervir

– que na preparação do terreno as intervenções são feitas segundo a curva de nível com o mínimo de mobilização do solo, para prevenir a erosão

– que a distribuição das plantas no terreno será efetuada de uma forma o mais aproximada do natural possível, utilizando várias espécies que possam resultar na criação de um bosque natural e diverso. (repete a palavra natural e podia ficar de um bosque misto e biodiverso.
– que nos anos seguintes à plantação existirão ações de substituição de árvores e arbustos que não sobreviveram (retancha), já que a mortalidade das plantas nos primeiros anos é muito elevada

– que, sempre que possível, será aproveitada a regeneração natural de espécies autóctones com ações de poda e condução de plantas

– que as ações de sementeira e/ou plantação serão realizadas preferencialmente entre novembro e fevereiro, exclusivamente em terrenos públicos (Matas Nacionais) e comunitários (Baldios), assegurando a afetação do espaço a funções florestais no longo prazo

– que será realizada, pelo menos, uma ação de voluntariado em cada época de plantação destinada a todos os que contribuíram para o projeto florestal da ZERO

– que será disponibilizado publicamente um relatório anual com as atividades desenvolvidas, a identificação georreferenciada dos locais onde foram realizadas as plantações e listagem dos doadores (se os mesmos autorizarem a divulgação do nome).

Quanto custa uma árvore e como será gasto o dinheiro?

Estima-se que o custo com a plantação de uma árvore seja de 3,50 euros (1.000 plantas por hectare, compasso de 4 x 2). Inclui preparação do terreno (25%), plantação, incluindo plantas, adubação, tubos protetores (40%) retancha (15% do total ou 30% das despesas de plantas, plantação e colocação de tubos, efetuado em 2 anos consecutivos), gestão do projeto (6%), deslocações, ferramentas, reparações, comunicações (4%) e overheads ZERO (10%).

Como posso participar?

Poderá efetuar um donativo à ZERO calculando o número de árvores que quer ajudar a plantar. Poderá também manifestar o interesse em ser associado/a da ZERO e/ou participar numa ação de voluntariado em data a definir.