post

Consumo consciente e responsável é um passo fundamental para reduzir a nossa pegada ecológica

Comemora-se hoje, dia 25 de novembro, o Dia Sem Compras, criado à escala mundial por oposição ao Black Friday, para alertar para os excessos de consumo que levam ao desperdício e ao fomento do descartável e estão na base de uma economia assente no crescimento ilimitado da utilização de recursos naturais que não existirão num futuro próximo.

A ZERO pretende chamar a atenção dos cidadãos e dos poderes públicos para a necessidade de se repensar o modelo de produção e consumo, dado o impacto que este está a ter na capacidade do Planeta para nos proporcionar qualidade de vida.

Dado que tudo o que compramos e usamos tem sempre impacto ambiental (quer na fase de produção, quer na fase de uso e de fim de vida), quanto mais comprarmos, maior será o nosso impacte no ambiente, onde, entre outros consequências, estaremos a contribuir para agudizar o problema das alterações climáticas.

Por exemplo, estudos realizados no âmbito da campanha Cool Products demonstram que a extensão do tempo de vida por apenas mais um ano dos smartphones que existem na União Europeia permitiria evitar a emissão de 2,1 milhões de toneladas de gases com efeito de estufa (GEE) por ano, em 2030, o que equivale a retirar da estrada cerca de 1 milhão de veículos.  A extensão do uso por mais um ano dos portáteis existentes é equivalente a retirar da estrada cerca de 870 mil automóveis e se estivermos a falar de máquinas de lavar roupa, estaríamos a falar de poupanças equivalentes a retirar 130 mil carros da estrada por ano, em 2030. E neste estudo apenas se teve em linha de conta os aspetos ligados às emissões de GEE. Os benefícios serão ainda muito maiores se entrarmos em linha de conta com todos os recursos que deixam de ser explorados para responder à procura por novos equipamentos.

 

Seis apelos da ZERO para o dia sem compras

  1. Pensar muito bem antes de fazer qualquer compra e resistir às promoções. Um produto não se torna necessário porque está em promoção, por muito tentadora que esta seja. Refletir muito bem de forma consciente e responsável é o primeiro passo.
  2. Se tem mesmo de comprar alguma coisa, deve preferir a aquisição em segunda mão. Existem cada vez mais alternativas para comprar produtos em segunda mão e algumas plataformas de venda de produtos em segunda mão também estão a fazer campanhas de desconto, com o intuito de aumentar a atratividade deste novo estilo de vida.
  3. Se tem mesmo de adquirir novo, então procure produtos que tenham certificações – por exemplo o rótulo ecológico europeu – que lhe garantam que foram produzidos procurando reduzir os impactos em diferentes dimensões da sustentabilidade.
  4. Adquirir produtos locais, menos complexos (que não misturem diferentes materiais) e que sejam duráveis e reutilizáveis, são também bons conselhos.
  5. Adquirir e oferecer experiências em alternativa e “coisas” (caso esteja a pensar usar a black friday para comprar prendas): a visita a um museu, bilhetes para o teatro, uma experiência na natureza, o apoio a uma causa. Existem múltiplas possibilidades.
  6. Optar por reparar os seus equipamentos elétricos e eletrónicos e procurar usá-los durante mais tempo; por exemplo, por cada 3 meses de utilização extra de um smartphone pode reduzir o consumo de recursos em mais de 10% ao ano.