post

Reduzir o consumo, prevenir o desperdício e dar um destino correto aos resíduos, são as maiores preocupações.

2019 tem sido um ano de consciencialização global para a necessidade de agirmos de forma diferente, se queremos preservar as condições de vida que este Planeta onde vivemos nos proporciona.

O Natal e a passagem de ano são ocasiões excelentes para pôr em prática algumas mudanças no nosso estilo de vida que serão necessárias para que possamos travar a perda de biodiversidade, minimizar o impacto das alterações climáticas e preservar os recursos naturais.

Cada contributo conta e já não há tempo para deixar para amanhã. Para ajudar esta transição, a ZERO sugere um conjunto de iniciativas para estimular a mudança rumo a um mundo menos consumista e mais humanista.

Na mesa – não se atreva a desperdiçar

Planeie as refeições dos dias de festa – véspera de Natal, Natal, Passagem do Ano, Ano Novo e Reis – e faça uma lista dos ingredientes que precisa antes de ir às compras. Não se esqueça de articular a sua lista com a dos outros convidados. Assim evitará comprar mais do que aquilo que necessita, o que lhe permitirá não só poupar dinheiro como também evitar o desperdício alimentar.

Nas suas compras para as refeições de Natal e Ano Novo prefira produtos a granel ou pouco embalados (e principalmente que não estejam embalados em plástico). Atualmente já existem muitas lojas de venda a granel. Faça uma pesquisa na Internet para descobrir a que lhe é mais próxima. Opte também por comprar produtos locaise, no caso dos produtos alimentares, prefira os da estação do ano e de agricultura biológica.

O que servimos à mesa também deve ser tido em conta. Se puder, substitua alguns ingredientes de origem animalpor alternativas vegetarianas e prefira as carnes brancas. Em relação ao pescado, compre bacalhau e polvo de grande dimensão e dê preferência ao bacalhau pescado de forma sustentável (certificado). Em alternativa, pode sempre manter as suas tradições gastronómicas do Natal, mas assumir o compromisso de reduzir o consumo de produtos de origem animal nos restantes dias. Os resultados para o ambiente serão melhores e pode manter intactas as suas tradições.

A certificação (sustentabilidade, comércio justo, agricultura biológica) também deve ser tida em conta em produtos como os chocolates, onde já existe uma ampla oferta e já não temos desculpa para não optar pelas marcas que já deram este passo. A sua marca favorita de chocolates ainda não está entre elas? Contacte-a e diga que para si esse é um critério de compra importante.

Nos seus jantares e almoços festivos utilize sempre produtos reutilizáveis (pratos, copos, talheres, etc.), combatendo a proliferação de plásticos na nossa vida e no ambiente.

Cozinhou comida a mais? A palavra de ordem é “Não Desperdiçar”! O que sobrou pode ser reutilizado noutros pratos. A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de metal. Dentro do possível, evite recipientes em plástico, em particular se está a guardar comida com gordura ou se pretende aquecê-la.

Se ainda não decidiu o que oferecer

Se tem mesmo que dar uma prenda e não sabe o que oferecer, um produto comestível (ex: uma lata de chá biológico, um vinho, chocolates artesanais) é uma boa garantia de sucesso.

Também pode oferecer algo feito por si. Umas bolachas, bolinhos ou bombons caseiros em frascos reutilizados são uma hipótese. Oferecer fotos memoráveis ou frases inspiradoras numa moldura feita por si reutilizando materiais que tenha em casa, também pode ser uma bela surpresa para quem recebe.

Comprar presentes em segunda-mão pode ser uma excelente opção em termos ambientais e económicos. Muitos bens em segunda-mão encontram-se em condições semelhantes aos produtos novos e são muitas vezes vendidos a menos de metade do preço. No entanto, tenha atenção aos materiais plásticos, especialmente no que toca a brinquedos e a utensílios de cozinha. Em alguns casos, podem conter substâncias que atualmente se encontram proibidas.

Uma outra opção é a de oferecer o apoio a causas – adotar uma causa, apoiar uma instituição. Pode também oferecer experiências – passeios, ações de voluntariado, etc. – em alternativa aos bens materiais.

Ainda em busca de presentes? Vá às compras na sua própria casa. Certamente tem presentes que lhe foram oferecidos e que nunca utilizou ou irá utilizar. Algo que tenha comprado, mas não tenha usado, também serve. Porque não oferecê-los a alguém que poderá vir a dar-lhe um destino útil? Dá um novo uso a um recurso e evita a “loucura” das compras de última hora.

E depois da entrega dos presentes

Infelizmente nos dias seguintes ao Natal ainda é visível que a redução e a separação seletiva não fazem parte das práticas de muitos portugueses. Se a aposta na prevenção não resultou muito, é absolutamente fundamental que separe os materiais de embrulho e outros e os procure reutilizar. Se tal não for possível, todos os resíduos devem ser devidamente encaminhados para os ecopontos para serem reciclados. Se estes estiverem cheios, aguarde um ou dois dias, mas não coloque materiais/recursos que são valiosos no lixo indiferenciado.

O novo Ano!

Para aqueles que não irão passar o ano em casa e vão, por exemplo, a uma festa ou jantar, podem levar um copo reutilizável para evitar usar os de uso único, recusar palhinhas ou levar uma pessoal. Para quem prefere uma festa caseira, a lógica da reutilização é a mesma, quer nos copos, pratos, etc, quer nas decorações.  

Ano novo, vida nova! E porque não definir como primeiro projeto do ano deixar de desperdiçar os bioresíduos que produz em casa? Faça (ou compre) um compostor e passe a aproveitar os resíduos orgânicos, produzindo composto (terra nova) para usar no seu jardim ou horta. Pode não parecer, mas é um processo bastante simples e natural.

A ZERO deseja a todos umas Festas Muito Felizes, assentes num consumo responsável e em prol da sustentabilidade!